Resenhas

Persépolis

Título Original: Persépolis
Autora: Marjane Satrapi
Editora: Companhia das Letras
Páginas: 352
Compre:  Amazon

Sinopse: Marjane Satrapi tinha apenas dez anos quando se viu obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979 ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do regime xiita – apenas mais um capítulo nos muitos séculos de opressão do povo persa.

Vinte e cinco anos depois, com os olhos da menina que foi e a consciência política à flor da pele da adulta em que se transformou, Marjane emocionou leitores de todo o mundo com essa autobiografia em quadrinhos, que só na França vendeu mais de 400 mil exemplares.

Em Persépolis, o pop encontra o épico, o oriente toca o ocidente, o humor se infiltra no drama – e o Irã parece muito mais próximo do que poderíamos suspeitar.

“Eu queria ser ao mesmo tempo a justiça, o amo e a ira de Deus.”

Marjane e sua família residem no Irã desde que o país era coberto de paz. Mas agora presenciam uma guerra terrível, e que mais tarde decorrerá de um regime, imposto a todos os habitantes daquele país.

Dentre as medidas impostas pelo governo, estão a obrigatoriedade do uso do véu por todas as mulheres independente de suas idades, a proibição de festas, músicas ou a aproximação de mulheres e homens, dentre outras.

O povo contra ataca com protestos que arrastam multidões. Todos dispostos a reivindicar sua liberdade. E os pais de Marje são frequentadores assíduos das marchas.

O governo não recebe bem a proposta do povo e a guerra é declarada. Durante anos o rei luta com a população. De um lado, a busca por uma revolução, e do outro, a repressão imposta garganta abaixo.
Com todos os ataques sofridos, os pais de Marjane decidem manda-la para Inglaterra com o objetivo de mantê-la em segurança.

A menina cresce em uma terra estranha e sofre muito. À princípio, seus pais a mandaram para a casa de uma prima que, segundo eles, cuidaria dela. Mas não foi bem assim. Logo a tal prima a manda para uma pensão, onde Marje também não dura muito tempo.

Assim como uma peregrina, Marjane começa a passar de casa em casa. Apaixona-se por algumas vezes e decepciona-se em todas elas. Por fim, vai morar na rua e ali fica por muitos dias.

Fazia muito frio na época em que Marje residia nas ruas e logo logo ela ficara muito doente. Pegou muitas pneumonias e chegara a escarrar sangue. Mas felizmente foi socorrida a tempo, e depois de todo esse sufoco, Marjane decide voltar para o Irã.

Será que ela conseguirá voltar? E a guerra? Já chegara ao fim? Seus pais ainda vivem?

Eu fiquei extremamente comovida com a história, e confesso: faltou pouquinha coisa pra eu chorar. Apesar de ser um livro todo em quadrinhos, o enredo da história é bem sério e emocionante e conta a realidade vivida pelos povos que a tanto tempo vivem em países devastados pela guerra. Marjane era só uma criança cheia de vigor e vontade de viver, e que infelizmente teve sua felicidade roubada pela disputa de poder entre os governos. ** Recomendo essa belezura de olhos fechados, com certeza.

⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️

Meu nome é Kamila, tenho 22 anos e adoro ler desde que me conheço. O blog Resenhista foi criado em Dezembro de 2016, e nasceu da junção da insistência do meu namorado em criar um espaço onde eu pudesse explorar e expor minha paixões literária e a minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que eu ia lendo. Apesar do blog ser ainda muito novo, já tem alcançado um certo público e esse é um dos pontos que mais me motivam continuar a escrever. O Resenhista começou com o desejo de criar uma biblioteca pessoal virtual, e é claro, por meu fascínio por livros e hoje faço dele minha diversão, meu robe favorito. Desde que comecei a resenhar, poucos foram os dias em que passei sem pegar em um livro. Leio em média 8 à 10 livros por mês, dependendo dos compromissos pessoais. Levo uma vida bem tranquila, na medida do possível, me formei em Letras-Literatura em Dezembro de 2016 e hoje curso Pós Graduação em Letramento. Sou professora mas meu grande sonho é tornar-me JORNALISTA!!! Hoje as ferramentas que mais me trazem retorno são o Instagram e o Blog, porém tenho uma página no Facebook, Twitter e futuramente, quem sabe, um canal no YouTube. Espero que possamos nos divertir juntos e agregar valores. Um grande cheiro e Volte Sempre!

 41 Posts 5 Comments 5445 Views